sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Tantas emoções


Saí de casa hoje a tarde pensando que seria uma sexta-feira comum. Mas aquele céu acinzentado me preparava bem mais do que um chuvisco ralo, varrido pelo vento sul. O universo conspirava a meu favor, e eu nem imagina o que estava por vir.

Depois de uma semana de muito trabalho, tirei o dia para pagar contas, arrumar o celular, almoçar com a Sofia e a Tatá no centro, e dar conta de uma lista interminável de pendências.

Tínhamos acabado de almoçar e eu estava descendo as escadas da Feira da Fruta, quando o meu telefone tocou. Era o meu compadre, Eduardo Mendes, que além de “dindo” da Sofia é nosso irmão de coração.

Ele queria saber o que estávamos fazendo, perguntou pela afilhada. Como ele recém mudou para um apartamento novo, está feliz da vida com a namorada, achei que era só uma crise de saudade dos pampas. Ele vive em São Paulo há alguns anos, onde trabalha como repórter cinematográfico da Rede Globo.

Daí ele me diz assim:

- Gabi, preciso que tu me quebres um galho. Vou te botar numa saia justa, fala com essa pessoa que está aqui ao meu lado e vais entender.

Eu já me apavorei. Imaginei qualquer coisa, até um seqüestro relâmpago. Daí aquela voz do outro lado me diz:

- Oi Gabriela, tudo bem? Aqui é o Caco Barcellos!

Eu, em pleno Galeria Malcon, saltei e disse:

- Ahhhhh tá Mendes, essa é boa. Conta outra. Então aqui é a Patrícia Poeta!!!

A voz bonita disse de lá:

- Não Gabriela, sou eu mesmo, o Caco. O Eduardo me disse que tu gostas do meu trabalho e eu estou ligando para agradecer.

Cabruuuuuuummmmm!!!!

Quase despenquei no meio da galeria. Meu coração foi a uns 300 batimentos por minuto. Me deu um vermelhão na cara e pensei rapidamente: é ele mesmo, e agora???!!! Bom, vou aproveitar pra dizer tudo que acho dele.

- Eu não posso acreditar menino!!! Bom Caco, mas já que é tu mesmo, eu vou aproveitar para te dizer um monte de coisas. Que eu sou jornalista por tua causa, que eu admiro não só o teu trabalho, mas o ser humano maravilhoso que tu és. Que me espelho na forma que tu levas o jornalismo, em toda sua essência. E acima de tudo, porque tu consegues mudar esse mundo, de verdade...

E assim me desdobrei dizendo tudo que eu sempre achei desse que é o meu maior ídolo. Tanto é, que meu pai me apelidou de “Cacaca” em casa, por causa dele.

Contei que tenho todos os seus livros, e que um em especial, guardo na minha mesa de cabeceira, com carinho. É o Rota 66, o primeiro livro dele que li, e onde tenho um carinhoso autógrafo. Foi em 1997, quando eu estava no primeiro ano de faculdade, e ele veio dar uma palestra na nossa universidade. Eu lembro que fiquei fascinada pela sua fala e tão impactada que não me animei a perguntar nada.

No final do evento, fui até ele, e pedi timidamente que assinasse o meu livro. Lembro que chovia muito e ele estava apurado para pegar o último ônibus para Porto Alegre, às 23h30. Mesmo assim olhou nos meus olhos com ternura e me carimbou as palavras escritas acima, que sempre serviram de norte para minha vida profissional.

Esse é o Caco Barcellos, que tanto admiro, e que hoje é parceiro de Profissão Repórter do meu compadre.

E hoje, ainda inebriada com aquela surpresa maravilhosa, me dei conta do quanto este ano tem sido surreal pra mim. Depois do beijo do Galeano, um telefonema do Caco Barcellos. Difícil avaliar, mas acho que no ranking das emoções, o Caco está acima do beijo do Galeano.

Na verdade, não sei mais nada. Como diria o Rei Roberto Carlos, “são tantas emoções”!!!

4 comentários:

Anônimo disse...

Filha...imagina tu que logo após teres tido esta emoção, estava eu no J.C.Pelotas e soube deste acontecimento.Fico muito feliz... as coisas tem seu caminho certo, lembro bem qdo.ainda adolescente, lias a cronica policial do jornal e teu pai dizia: e aí CACACA quais são as noticias??? Posso imaginar tua realização como jornalista,pois além de teres no Caco Barcellos uma referência, tua postura, teus conceitos, ética ... são valores que estão dentro de ti. PORISSO ALGUÉM LÁ DE CIMA APRONTA ESTA EMOÇÕES.
1 beijo,Mãe.

kiki disse...

Como diria o Luciano Huck, loucura, loucura, loucura...
Bjs

Lu Gastal disse...

cacaca mazza! já estava com saudade de ler tuas divagações deliciosas!

Andréa disse...

É, minha amiga. "estás podendo". Eu colocaria o Galeano acima, mas fazer o que?
Bem, com a estrela como andas, se encontrares o Chico Buarque, me chama, please!!! kkkkkkk
Beijo!
Andréa